Apresentação

17 de julho 2020 
Inscrição gratuita, mas obrigatória.

Escutar, sentir e guardar

Experiência sonora e ecologia acústica

O mundo moderno é muito mais sonoro do que o terão sido as épocas passadas. Depois da Revolução Industrial, as sociedades tornaram-se cada vez mais ruidosas. Para Erling Kagge, “o silêncio está em vias de extinção” (O silêncio na era do ruído, 2016, p. 49). Talvez por isso a escuta é hoje um exercício cada vez mais exigente.   

As primeiras semanas de confinamento pela contenção à Covid-19 proporcionaram a todos uma nova experiência sonora. A suspensão de várias dimensões da vida coletiva trouxe para o primeiro plano da escuta sons que habitualmente se escondem sob o ruído de máquinas, de movimentos, de dispositivos e de uma rotina que não convida à interioridade do ouvido. Como nos situamos após esta experiência coletiva transformadora? Há espaço para uma sensibilidade acústica renovada? 

Para assinalar o Dia Internacional da Escuta queremos falar sobre o que ouvimos. E como ouvimos. Por isso, organizamos este encontro online que pretende refletir sobre o desafio de escutar, sobre o que o som dá a conhecer e sobre a relevância da preservação das nossas memórias acústicas.  

Num primeiro momento, realizamos um encontro com convidados que conversarão sobre memórias sonoras e políticas de arquivo. Depois, abrimos espaço à participação de outros investigadores que queiram partilhar trabalhos sobre esta temática.


PROPOSTAS DE COMUNICAÇÃO

Serão bem acolhidas propostas de comunicação, em Português e em Espanhol, que se inscrevam num dos seguintes temas:  

Som e significação
(o poder expressivo das linguagens sonoras; a relevância do som como fonte de informação e conhecimento; a ligação entre o escutar e o sentir)

Escuta ativa e literacia sonora
(a promoção da escuta numa cultura predominantemente visual; a apreciação estética da arte sonora; práticas pedagógicas criativas como meios de sensibilização acústica)

Memória e arquivo
(memórias sonoras e identidade; políticas de arquivo de som; repositórios digitais)

Ecologia sonora
(a valorização da experiência sonora como método de reconhecimento das transformações do ambiente; som e interação com os espaços; bioacústica)


SUBMISSÃO DE PROPOSTAS

As propostas deverão ser submetidas no formulário de inscrição, até ao dia 26 de junho, no seguinte formato: 
– Título 
– Resumo de 300 palavras
– Nota biográfica do(s) autor(s) (máximo 100 palavras)  

A notificação de aceitação será comunicada até ao dia 6 de julho.  


APRESENTAÇÃO DE COMUNICAÇÕES

A apresentação das comunicações será feita através de videoconferência, podendo os participantes recorrer à partilha de ecrã para utilização de recursos multimédia (apresentações de Power-Point, vídeo ou áudio). Solicitar-se-á a todos os participantes a utilização das respetivas câmaras durante a apresentação, que não deverá exceder os 10-12 minutos.


PUBLICAÇÃO

Os textos completos das apresentações (máximo 3.000 palavras) podem ser enviados até ao dia 31 de julho para publicação em setembro num livro eletrónico.  


CERTIFICADO

Aos participantes será emitido certificado de participação em formato digital.

O encontro online ESCUTAR, SENTIR E GUARDAR é uma iniciativa do projeto “AUDIRE: guardar memórias sonoras” e do Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade da Universidade do Minho.